5 passos para encontrar sua essência e trazer mais autenticidade à sua marca

Muito se fala sobre autenticidade hoje em dia. Entretanto, poucas pessoas parecem entender o real significado da palavra, principalmente quando isto diz respeito a uma marca pessoal. E, no final das contas, o resultado disso é o surgimento de inúmeras marcas vazias. Falta propósito, valor e o diferencial que cada um de nós tem — que são nossas histórias e experiências únicas. 

A autenticidade é a natureza daquilo que é real e genuíno, ou seja, é ser único. Contudo, é comum termos a falsa percepção de que não somos autênticos e somos muito parecidos com todos à nossa volta. Quando estamos começando em uma carreira, então, este tipo de dúvida é latente. É natural, por exemplo, nos questionarmos sobre o motivo pelo qual alguém nos escolheria em vez de outro profissional. E o segredo está justamente na autenticidade. 

Profissionais autênticos, que sabem usar suas próprias histórias como base e âncora para estabelecer sua marca e difundir sua mensagem, são aqueles que conseguem acrescentar valor ao seu negócio. E sobre valor, não falo apenas de dinheiro. Valor é sobre fazer com que seus clientes e seu público entendam o quão incrível você é e te escolham por isso. 

Sabendo da importância da autenticidade para criar valor para a sua marca, reuni aqui 5 passos para te ajudar a encontrar sua essência e trazer mais autenticidade para a sua marca. 

Se conheça 

Antes de tudo é fundamental que você se conheça e se entenda. Parece simples e óbvio, mas não é. Eu mesma, por exemplo, só entendi a importância do autoconhecimento e da análise de nós mesmos nos últimos tempos. 

Antes disso eu ignorava essa necessidade. Achava que todo esse papo de se conhecer não ia fazer a mínima diferença na minha marca. E, acima de tudo, tinha muita preguiça de parar para pensar sobre meus aspectos essenciais e sobre como entendê-los era importante. Quando comecei –– e até pouco tempo atrás –– eu não entendi o valor que o autoconhecimento poderia agregar à minha marca. 

Portanto, a dica principal aqui é se conhecer, entender quem você é e entender que você muda constantemente. Mas, que a sua essência sempre será a mesma e é ela que deve estar na sua marca. Sente, faça uma análise de suas características, qualidades e defeitos, gostos e desgostos. Pense na sua história e em como ela te moldou para ser quem você é hoje. Ao entender-se fica muito mais fácil de inserir suas principais características e histórias em sua marca. 

Isso porque, a sua personalidade e sua história são essenciais para a autenticidade de uma marca. Mas, isto só é possível se você se conhece, sabe quem é, quais são suas características, seus gostos, medos, dúvidas e, principalmente, os valores que te guiam através de sua jornada. 

Defina seus valores 

Durante toda a nossa vida vivemos baseados em valores. Em suma, é como se tivéssemos nosso próprio código moral, sobre o qual estabelecemos nossas bases e construímos as estruturas da nossa vida. 

Porém, quando não nos conhecemos o suficientemente bem é comum que os nossos valores se mesclem com os dos outros. É fácil, hoje em dia, nessa vida apinhada por interações sociais — no mundo real e virtual — se perder em meio aos outros e confundir aquilo que é nosso daquilo que é dos outros. 

Eu, por exemplo, durante muito tempo permiti que valores de outras pessoas guiassem meu caminho. Depois de um bom tempo e de muita avaliação decidi demolir toda aquela estrutura que havia criado baseada nos valores alheios e começar tudo de novo. 

Na época comecei, primeiro, analisar a mim mesma. Coloquei no papel meus principais valores e as coisas que eram mais importantes para mim como indivíduo. As duas principais eram: liberdade individual e criatividade. E, bem, estes valores, hoje, estão muito fortemente representados nos ideais e visão da minha marca pessoal. 

Assim sendo, é importantíssimo que você análise seus valores e o que te guia. Eles são o caminho pelo qual você anda e serão, também, o caminho da sua marca. 

A dica aqui é pensar em si e elencar os valores que te movem. Liste todos aqueles em que você acredita e depois coloque por ordem de importância. É um bom exercício para entender mais sobre eles e como você pode fazer com que eles estejam aplicados no storytelling e na comunicação da sua marca. 

Aceite e se apaixone por quem você é 

Um ponto muito importante na etapa de construção da sua marca e que vai gerar valor a ela é este. Muitas vezes nossas marcas são um reflexo da nossa baixa autoestima. 

Quando não acreditamos que somos suficientes, quando não acreditamos que somos capazes, quando não nos aceitamos e nos amamos isso tudo refletirá em nossa marca. 

Pessoas confiantes e que acreditam em si e no que fazem terão muito mais facilidade em acreditar na sua marca e, portanto, fazer com que outras pessoas acreditem nela também. 

Quando começamos é comum nos compararmos muito aos outros e usar comparações de formas negativas. Pensamos no quanto a grama do vizinho parece sempre mais verde e nos lembramos do quanto não somos bons, experientes, inteligentes, habilidosos o bastante. 

Portanto, deixe para lá a insegurança sobre você. Quando falo sobre autenticidade, especialmente com relação a marcas e produção de conteúdo, gosto de ressaltar que todos nós temos algo único a dar. Nosso ponto de vista é único. Além disso, as nuances da nossa personalidade refletem-se em tudo que produzimos e isso vale tanto pra nossa parte “boa” quanto pra “ruim”. 

Não quero dizer que você deve simplesmente “tocar o foda-se” e tentar fazer com que todo mundo lhe aceite. É muito mais sobre transformar a forma como vê seu “lado ruim” e enxergá-lo ou fazer dele uma qualidade ou um ponto forte.  

Na minha arte, por exemplo, meus lados bom e ruim transparecem na forma como fotógrafo, sempre com contrastes entre luz e sombra. Mas, de forma mais prática, você pode usar sua obsessão por organização como um ponto forte, isso quer dizer que você raramente perderá um prazo ou que você pode até mesmo criar um serviço que ajude a organizar a vida de outras pessoas. Ou enxergar sua capacidade para criar e incapacidade para continuar em um projeto por muito tempo como uma vantagem, afinal, você está sempre pensando em inovar. 

Não importa como você decidir se expressar, se expresse aceitando e amando cada parte sua e isso transparecerá em sua marca e você e seus clientes encontrarão muito mais valor nela. 

Pare de tentar fazer o que os outros estão fazendo 

Essa parte parece óbvia, não é?! Com todo mundo lhe dizendo para ser autêntico, como você pode pensar em procurar algo nos outros se a autenticidade é sobre ser você mesmo?! Mas eu, por exemplo, não entendia isso. Constantemente, em meio a minha insegurança de não ser boa o suficiente no que fazia em termos de trabalho, eu buscava fazer o que os outros estavam fazendo. 

Tentava fazer fotos parecidas com as de outros influencers, editar as fotos de uma forma parecida com a deles, escrever legendas nas publicações do Instagram como os outros estavam escrevendo. E fazendo tudo isso esperava ser autêntica. A verdade é que estava sendo, nada mais nada menos, do que uma mistura de todas aquelas pessoas que usava como referência e ignorando o que eu gostava de fazer. 

E isso acontece porque muitas vezes queremos fazer o que os outros estão fazendo porque eles têm sucesso. Mas eles têm sucesso justamente pelo fato de terem sido autênticos, estar fazendo o trabalho que fazem da forma que acreditam ser a melhor para eles e para seu público e não porque eles estão tentando ajustar o tom de vermelho em uma foto no Instagram para ficar exatamente igual ao tom de vermelho no Instagram de outra pessoa. Eles ajustam o tom de vermelho pra forma que eles mais acham bonito e é isso. 

Um ótimo exemplo disso é o escritor Matheus de Souza. Os textos dele têm um jeito único — que é dele. É claro que ele tem as influências dele, mas ele não está tentando copiar o estilo de ninguém. Ele está, simplesmente, criando o que ele acredita, o que ele acha bom. É por isso que ele foi eleito como um dos Top Voices do LinkedIn em 2016 e lançou um livro sobre nomadismo digital recentemente, além de escrever textos que viralizam na rede. 

Confie na sua intuição 

Parece besteira e muitos vão dizer que é papo de maluco. Alguns vão achar que eu sou inocente por até mesmo trazer a intuição em um texto como este. Mas, eu realmente acredito nisso e a honestidade é um dos meus principais valores pessoais e que também guia a minha marca. 

Para mim, existe mais do que nossa mente racional e existem coisas que simplesmente sentimos como certas. E isso é a intuição. 

Muitas vezes, no processo de descoberta (ou redescoberta) da nossa essência nos perdemos na nossa mente racional. Tentamos justificar e racionalizar tudo. E é inegável que isso é mais do que importante quando estamos falando em criar uma marca e um negócio. 

Contudo, por vezes precisamos ouvir nosso coração e fazer o que sentimos ser o melhor. A verdade é que muitas vezes tomamos decisões — e estruturamos nosso negócio — baseados nos motivos errados. Pensamos somente no lado financeiro, deixamos de considerar nossa satisfação pessoal ou simplesmente ignoramos o fato de que não é possível fazer algo que não gostamos muito durante muito tempo. 

Portanto, um ponto importante aqui é tentar desenvolver sua intuição — através da meditação, por exemplo — e ouvi-la sempre que possível.  

Afinal, ser autêntico requer se conhecer e estar em contato com o seu eu mais profundo. E aí, vamos nos descobrir?