6 lições que aprendi com Gilmore Girls

c2390cf0-f6a4-0133-e71a-0a315da82319.jpg

Gilmore Girls foi sucesso entre 2000 e 2007, voltando aos holofotes em 2016 graças ao revival que a Netflix conseguiu arranjar (valeu, seus lindos). Confesso que não dava muita bola para a série. O enredo não parecia nada demais. É, basicamente, a história e a vida cotidiana de uma mãe solteira (Lorelai Gilmore) e sua filha (Rory Gilmore) que vivem em uma pequena cidade fictícia chamada Stars Hollow. Mas então vi que a Netflix lançaria mais quatro episódios da série e pensei: bom, deve ser boa. Aí já era! Comecei a assistir, viciei, e aprendi lições valiosas com a história das garotas Gilmore!

Os diálogos rápidos, as piadas inteligentes e as referências à cultura pop fazem do seriado um dos mais gostosos de assistir que já vi. Mas vai muito mais além disso. Gilmore Girls trata com leveza e de forma inteligente assuntos por vezes delicados. Problemas que nós, meros seres humanos da vida real, também enfrentamos em nossas vidas. Amizades, relacionamentos, conflitos de gerações, diferenças de classes sociais. Estes são alguns dos temas bastante pertinentes ainda hoje e discutidos durante as sete temporadas. As discussões, muitas vezes subentendidas, nos levam a aprender ou lembrar de coisas importantes do dia a dia. Por isso decidi escrever a respeito, elencando algumas das principais coisas que aprendi ou relembrei com Gilmore Girls, durante estas sete temporadas. 

Não diga “não” porque tem medo

giphy7.gif

Parece clichê, mas uma das cenas que mais me marcou acontece quando Lorelai, logo no início da série, diz para Rory não dizer “não” à algo simplesmente por sentir medo do que aquilo possa representar à ela. Ela fala que está tudo bem dizer “não” quando você realmente não quer fazer alguma coisa, mas que quando você diz “não” apenas porque está muito assustado ou tem medo, deve deixar essa resistência pra lá e encarar de frente o que vier. E é a mais pura verdade.

Quantas vezes eu, você e a torcida do Flamengo decidimos não ir à um jantar, aceitar uma oferta de emprego, mudar de cidade, mudar de curso na faculdade, viajar, somente por sentir medo?! Medo de não encontrar alguém conhecido, de não se adaptar, de não ser aquilo que você queria. Dos medos mais bobos e infantis até os mais terríveis pesadelos, o negócio é: não desperdice a oportunidade de fazer algo que pode ser incrível porque sua imaginação está dizendo o contrário.

Nenhuma mulher precisa casar ou ter um namorado para ser feliz

giphy Gilmore Girls.gif

Em praticamente todos os seriados, filmes, novelas, uma mulher só tem um final feliz se: 1) casa e vive feliz para sempre ou; 2) casa, tem filhos e vive feliz para sempre. Você nunca vê uma mulher solteirona sendo feliz para sempre e, quando vê, fica sempre torcendo para ela achar um marido! Por que?! Isso é algo que tem sido culturalmente nos enfiado goela abaixo. Não estou dizendo que uma mulher não é feliz casada ou namorando (eu sou casada e sou muito feliz), estou dizendo que as mulheres não precisam disso para serem felizes e não devem pensar que precisam disso para serem felizes.

De acordo com a criadora da série, o que mais a irritou nesse tempo todo em que a série esteve parada foram os questionamentos sobre o futuro amoroso de Rory (ALERTA DE SPOILER: que termina a série sozinha), pois para ela, isto nem de longe seria o mais importante. O foco dela e da série é mostrar como as mulheres são, independente do relacionamento amoroso em que estão – isso está em segundo plano. O objetivo é deixar claro que as mulheres podem, sim, viverem felizes e serem bem sucedidas, que elas podem priorizar o seu sucesso profissional e que elas devem pensar mais em si mesmas. #girlpower

Viva, seja, sinta, não viva de aparências

giphy Gilmore Girls 4.gif

A mãe de Lorelai, Emily Gilmore, é uma mulher rica, daquelas classudas, sabe?! Ela precisa viver sob as regras, ser respeitada por todos, se comportar impecavelmente bem. Usar roupas de lady, ter uma casa maravilhosa com as decorações mais caras, enfim, ela vive para ter e manter aparências. Ela é uma mulher dura, pouco maleável e que vive de acordo com as regras (que ela e o grupo de pessoas no qual está inserida respeitam).

Quando Emily percebe que algo não está indo conforme o esperado ela se desespera e faz de tudo para deixar as coisas do jeito imaginado. Tudo o que faz é pensando em não manchar sua digníssima honra construída baseada em suas aparências. Muita gente vive assim, dentro de uma bolha, seja por traumas, pelos tombos, chutes e turbulências pelas quais a vida te fez passar. Seja por timidez ou até mesmo por querer parecer melhor do que você acha que é.

É difícil achar alguém que seja autêntico, que fale o que tem que falar (sempre respeitando os outros, claro), que faça o que dá vontade, que não tenha algum tipo de insegurança com relação à imagem que vai passar aos seus amigos e ao mundo. E isso só tem crescido mais e mais com as redes sociais. Muitas vezes parece que parecer ser é melhor do que ser de fato. Ter uma roupa da última coleção, um calçado de marca, acessórios lindos, o último celular, um óculos da Louis Vuitton ou um colar da Tifanny não vai te fazer melhor do que você é (mais bonita, talvez, mas nunca uma melhor pessoa). Quando te tiram tudo que você finge ser, tudo que você tem, tudo que você tenta ser, quem é você? Tente melhorar isso, o resto que se fod*.

Deixe seu orgulho de lado, ele não faz bem

giphy5.gif

Um dos piores momentos da série, na minha opinião, foi quando Lorelai e Rory brigam e ficam meses sem se falar. Outras situações que me deixaram angustiada, também foram, em sua maioria, causadas pelo orgulho dos personagens. Quantas vezes elas deixaram de dizer algo, de pedir desculpas, de dar um passo adiante somente porque tinham muito orgulho para fazê-lo?! Ver isso acontecer na série me fez pensar nos momentos em que vi isto acontecer bem na minha frente e, posso afirmar que não é nem um pouco legal. Pensei nas vezes em que isso aconteceu na minha vida e na vida das pessoas ao meu redor.

O orgulho afasta as pessoas, lhes deixa amargas e mal humoradas e, pior, afeta todos ao redor dos dois (ou mais) orgulhosos. Todo mundo sabe que não é nada legal estar errado, mas, quando ocorre é preciso admitir o erro. Mesmo que você perceba que ambos estejam errados, admita sua parte na situação. E se o outro também estiver errado e não pedir desculpas, tudo bem. Você sabe que, no fundo, ele sabe que estava errado, apenas foi orgulhoso demais para admitir. Não jogue isto na cara de ninguém, apenas seja uma pessoa melhor e admita sua parte, o resto vai se resolver sozinho.

Pode ser difícil engolir o orgulho, até mesmo quase impossível nas primeiras vezes, mas eu garanto, com o tempo as coisas vão melhorando (experiência própria). Coloque para fora aquele “Desculpa” mesmo que seja difícil sair. Depois que ele sai, tudo fica muito melhor. Vai lá, tente.

Você não é obrigada a nada, tome suas próprias decisões

giphy

Uma das coisas que é muito forte na relação entre mãe e filha na série é que a Lorelai sempre induziu Rory a tomar suas próprias decisões e ser responsável por elas. Ela sempre encorajou a menina a fazer o que ela gostaria de fazer e não de acordo com os desejos dos outros (sempre lembrando-a de tentar não machucar terceiros com isto). Parece que este pensamento é algo que tem sido muito fortalecido entre as pessoas mais jovens hoje em dia. Uma rebeldia boa, de não aceitar os padrões que são impostos, de se arriscar, de assumir um posicionamento, de descobrir e lutar pelo o que você quer.

Você não é obrigada a seguir padrões, você não é obrigada a tomar uma decisão com base no que sempre sonhou e, quando chegou o momento, viu que não era aquilo que queria. Você não precisa viver de acordo com as regras criadas por outras pessoas. Tome decisões, siga seu instinto, siga seu caminho, e seja responsável por isto.

Abrace a vida, não importa o quanto ela tenha sido má

1468424260-1445888239-tcdgigi-ec063-h-lauren-graham-alexis-bledel-gilmore-girls-zoom.jpg

Era difícil ver Lorelai e Rory tristes ou deprimidas nos episódios, talvez pela quantidade gigantesca de café que consumiam ou pelas toneladas de comida gordurosíssima e deliciosa, mas o fato era que, não importa quantos tombos elas levassem, sempre tentavam encarar as coisas com bom humor (e comida). Às vezes a vida te bate bem forte, te maltrata, e é impossível não ficar triste ou se lamentar. Mas você não pode, simplesmente, parar tudo e ficar trancado em casa para sempre. Independente do que tivesse acontecido, elas continuavam com suas vidas, por vezes mais felizes, outras nem tanto, mas o ponto é que elas continuavam, não só existindo, mas de fato, tocando o barco para frente e vivendo.

Quantas vezes você não levou um banho de água fria, tudo que você imaginava foi por água abaixo e você quis desistir. Pois então, não desista. Apenas continue. Talvez não seja a hora, talvez seja desanimador, mas não deixe tudo o que você lutou e batalhou cair por terra. Se você abraçar a vida com tudo que ela tem de bom e ruim, a sua jornada até seu sonho vai ser muito mais fácil. Afinal, dizem por aí que a felicidade não é um destino, mas sim uma forma de viver, não é?!

E aí, gosta de Gilmore Girls? Elas também tem ensinaram algo? Compartilha aqui comigo! E se você ainda não assistiu, vai lá na Netflix, que tem todas as 7 temporadas disponíveis, mais a 8ª, que tem quatro episódios para matar a saudade!