A mudança está dentro de você

Há algo que você queira mudar? Quantas resoluções de ano novo foram feitas pensando em mudar algo em sua vida ou em você mesmo? Ao longo de minha não tão longa vida aprendi que a mudança está dentro de você — e que ela estava também dentro de mim. Eu aprendi que ninguém mais pode mudar algo a nosso respeito, a não ser nós mesmos. 

 Mudar de emprego, melhorar a alimentação, aprender um novo idioma, criar novos hábitos, crescer como ser humano. Tudo isso é possível se você estiver afim de fazer acontecer. Parece clichê dizer que você é a mudança, que “se você quer, você pode”. Apesar de muito da nossa vida não estar sob nosso total controle, uma grande parte está! Nós somos capazes de tantas coisas! 

Você vai me dizer que eu não consigo mudar de emprego só com a minha vontade. É claro que não. Você depende de fatores externos. Há o recrutador, a empresa, a crise, a família, enfim. É logico que existem todos estes fatores e muito mais. Mas você pode escolher entre colocar tantas coisas no seu caminho e encarar tudo como grandes obstáculos que você não conseguirá transpor ou você pode realizar o máximo de mudanças possíveis para que você consiga, no momento certo, agarrar a oportunidade que você criou. 

A mudança não precisa ser uma revolução 

Quando comecei a escrever no LinkedIn e também aqui no blog sobre ir em busca de seus sonhos, sobre trabalhar nos empregos errados e mudanças em geral, alguns vieram me falar que não podem fazer isto ou aquilo porque tem família, porque tem apartamento, ou outras despesas para arcar. Eu sei, eu sei, eu também tenho. Tenho o financiamento de um apartamento, tenho o carro que precisa de seguro e muita manutenção. Tenho família em Florianópolis, Jaguaruna e Imbituba, portanto viajamos constantemente para visitá-los e isto vem com mais gastos. Não tenho filhos, sei que é difícil e que as despesas aumentam cada dia mais. Mas quando falo de mudança, não quero dizer para bancar o louco e largar tudo sem pensar no sustento de sua família ou nas dívidas. 

 Sei que com o advento da internet cresceu também o número de notícias relacionadas, por exemplo, à pessoas que chutaram o pau da barraca e decidiram viver uma vida completamente diferente. O negócio é que as notícias, em sua maioria, são feitas com base em pessoas fora da curva. Aquele menino muito pobre que passou para Harvard. Aquela pessoa tão “fit” que tem 5% de gordura no corpo. Aquele cara que parece que nem trabalha de tanto que viaja. Aquela mulher que tem apenas com 20 peças de roupa e vive num trailer. As notícias sobre pessoas que fizeram mudanças, consideradas drásticas por muitos, cresceram, assim como a idealização de que para realizar uma mudança é necessário fazer uma revolução na sua vida. 

Imagem: Pexels

Por isto, hoje, quando falamos em mudanças e em sonhos, todos já pensam em coisas grandiosas, mas não é bem assim. Eu, por exemplo, tenho como objetivo, realizar algumas mudanças em meu comportamento, em meu ser, evoluir como pessoa mesmo. Também gostaria de mudar um pouco meus hábitos alimentares. Não, não vou virar o próximo Buda, nem vou ser uma musa fitness. Eu quero realizar pequenas mudanças que me possibilitem ter uma vida melhor e uma convivência maravilhosa com às pessoas que me cercam. 

Não acho, inclusive, que você precise fazer uma revolução em sua vida e ser tão drástico para mudar. A mudança boa é aquela que vai acontecendo aos poucos, dando tempo para você se organizar, se adaptar. É aquela mudança em que você dá um tempo para a poeira baixar e continua em frente.  

Vou dar um exemplo bobo: certo dia decidi tirar o açúcar do café. Eu usava 4 colheres pequenas em uma xícara (doida varrida!!!) e amava. Eu tirei tudo de uma vez e foi a pior experiência que tive com café na minha vida! Hahaha! Então eu decidi ir aos poucos. Eu tirei meia colher, na outra semana mais meia, na seguinte mais meia, até ficar sem um grão de açúcar. Hoje eu gosto de café sem açúcar e não consigo mais tomar café preto com qualquer que seja o adoçante. 

Meu ponto aqui é o seguinte: a mudança veio gradativamente e aconteceu de forma muito mais “fácil” do que se eu tivesse largado todo o açúcar de uma só vez. Talvez seja por isso que aquela dieta doida não funcione. Você simplesmente tira tudo que ama comer de uma vez. É uma experiência um pouco traumática, não é?! Talvez seja por isto, também, que aquela promessa de aprender a falar algum idioma não dê certo, porque você começa a estudar como um louco achando que ficará fluente em poucas semanas. Talvez seja por isso que você ache que mudar de vida é impossível, porque você pensa que a mudança é uma coisa doida, que você precisa largar tudo para ser feliz. Você pode dar um passo de cada vez, não há problema algum nisso. 

Você decide 

Mas agora, quero falar do ponto principal que me levou a escrever este texto: a mudança está dentro de você. Quando eu decidi parar de usar açúcar no café… Bom, não preciso nem continuar esta frase, o ponto crucial dela está aqui, logo no início. “Quando eu decidi”. Está vendo? EU. Eu mesma, euzinha. Decidi. Eu provoquei esta mudança em minha vida. Fui influenciada pelo ambiente externo (documentários, médicos, nutricionistas, reportagens e afins)? Fui sim. Mas quem decidiu parar comer açúcar fui eu. 

Este é o ponto principal. É aqui onde eu queria chegar. Eu sou a responsável por qualquer mudança em minha vida. Eu, assim como você, faço escolhas diariamente, a cada hora, a cada minuto. Eu escolho me levantar e tomar um copo de água ou ficar aqui sentada trabalhando sem me hidratar. Eu escolho dormir alguns minutos a menos e me exercitar ou fazer o contrário. Eu escolho lutar batalhas, grandes ou pequenas, todos os dias em busca de uma vida melhor, em busca das mudanças que eu quero provocar em minha vida. 

Eu acredito fortemente nisso e você também deveria acreditar. E eu lhe digo o porquê. Você já tentou convencer alguém de alguma coisa? Quantas vezes você foi bem-sucedido nessa empreitada? A não ser que você tenha lido 300 vezes o sucesso do Dale Carnegie, “Como fazer amigos e influenciar pessoas”, é bem provável que você não tenha conseguido grandes resultados. Não falo de negociações complexas, falo de conselhos como: 

– Você deveria parar de fumar! 

– Coma menos! Isso é gula! 

– Você precisa estudar mais, talvez seja por isso que você não está indo bem nas provas. 

Imagem: Pexels

Quando isso dá algum resultado? Raramente. Ninguém vai conseguir te fazer mudar algo a não ser que você esteja completamente convencido de que deva mudar. Não convencido por alguém, mas convencido por si mesmo. Quando eu era adolescente e tímida demais me diziam que eu deveria ser menos tímida, me enturmar, conhecer pessoas, falar, olhar elas nos olhos. Mas eu não conseguia mudar isso. Eu não conseguia mudar porque eu não compreendia que precisava fazê-lo. Eu não tinha me convencido de que precisava da mudança. 

Até que um dia eu percebi que precisava mudar isso. Eu me convenci de que agir daquela forma estava prejudicando minha vida, meus relacionamentos e minhas chances de conseguir um emprego. Eu quis que esta mudança acontecesse em minha vida — e eu a fiz acontecer. Hoje tenho orgulho disto e lhes digo o porquê. 

Eu fiquei orgulhosa porque eu sei que ninguém me pegou na mão para dizer: vai lá, pare de ser tímida, e eu simplesmente parei. Fiquei orgulhosa porque eu lembrei que não foi fácil para mim e que foi um longo caminho a ser percorrido. Fiquei orgulhosa porque eu mesma realizei esta mudança em minha vida, eu fui responsável por ela. Eu e mais ninguém.  

Como eu falei no meu texto sobre ansiedade, ninguém vai te fazer ser menos ansioso além de você. Você e mais ninguém precisa se convencer de que precisa daquela mudança. Pode vir o Papa, pode vir um monge tibetano, quem quer que seja não vai te fazer mudar se você não quiser. Eu digo que a mudança parte de você porque você é a única pessoa que pode se convencer a mudar. Sua família pode aconselhar, você pode assistir aulas sobre como mudar algo, um expert no assunto pode lhe aconselhar diariamente. Todos eles estarão lhe mostrando o caminho, porém, nenhum deles vai conseguir te mudar o amarrando atrás de um carro e arrastando-o através do caminho. Você precisa caminhar com as próprias pernas. 

Por isso é tão difícil mudar o comportamento de outra pessoa. Fico triste quando vejo alguém querendo mudar alguma coisa no parceiro, nos pais, nos amigos. Essa vontade é a mesma coisa que nada se o outro não está disposto a mudar. Ninguém pode te convencer disso a não ser você. Portanto, se você precisa mudar algo, convença-se. Mas saiba que às vezes isso pode levar tempo.  

Convença-se da necessidade da mudança e faça acontecer 

Eu levei anos para lutar contra minha timidez. Anos para perceber que precisava fazer algo com relação à minha ansiedade. E ainda luto para aprender a perdoar da forma como gostaria e simplesmente não guardar rancor. Eu sei que, assim como compreendi tantas outras coisas, compreenderei o que todos falam sobre perdoar e não guardar rancor, mas sei que este momento, infelizmente, ainda não chegou. Eu ainda não estou ali. 

Eu percebo que ouvimos muito, mas são raros os momentos em que realmente compreendemos o que algo ou alguém tem a dizer. A mudança vem quando compreendemos, de fato, o sentido daquilo. A mudança vem naquele momento de “Eureka!”. Você já sentiu isso? É algo estranho e inexplicável e pode acontecer repentinamente, como um soluço. Às vezes demoramos para nos dar conta do que aquela frase que alguém nos disse um dia queria dizer. Nós entendemos, é claro, mas não compreendemos completamente o sentido daquilo até que, como num susto, certo dia compreendermos. 

Imagem: Pexels

Para mudar você precisa ser determinado, paciente e compreensivo. Esperar que você e a mudança estejam no mesmo ponto, no mesmo lugar. Eu posso dizer a você: “A mudança está dentro de você” e muitos irão ler e entender o que quis dizer, mas não estão lá ainda. Não estão no ponto em que você e a mudança se encontram. 

Me pergunto quantos de vocês irão realmente compreender o sentido desta frase e ter seu momento “Eureka!”, vendo aquela luzinha acender-se acima de suas cabeças. Quantos irão olhar para esta frase e absorvê-la de verdade, como se ela já fizesse parte do seu ser, como ela fosse a última peça de um quebra-cabeças.  

Talvez você ainda não esteja no seu momento de compreender esta frase — e está tudo bem. É como eu disse: leva tempo. Talvez em algum momento de sua vida, lá na frente, você lembre do que falei aqui e consiga compreender. Eu somente espero que lembre-se disso e guarde esta frase até que você possa dizer que a compreendeu e que ela faça a diferença em sua vida assim como fez na minha. Lembre-se sempre: a mudança está dentro de você.