Tulum: entre chuva, praia e cenotes

Nossos dias na praia de Tulum foram marcados por um misto de apreensão e alegria. Chegamos no hotel Amoreira, onde ficamos hospedados à beira mar, no início da tarde do nosso segundo dia na cidade.

 

Como ainda não tínhamos almoçado, a fome falou mais alto e descemos as escadas das cabanas em direção o a praia, onde encontramos um pequeno e simpático restaurante chamado La Eufemia, logo quando os primeiros pingos de chuva começavam a cair.

Assim que entramos no La Eufemia percebemos que o restaurante estava praticamente lotado e só haviam dois lugares de frente para o mar, em uma bancada. “Perfeito”, pensamos, vamos almoçar com uma vista linda. Até que a primeira lufada de ar nos banhou – literalmente – com a realidade. Uma chuva forte havia começado e nós precisávamos de sombrinhas quiséssemos ficar secos.

 



 

Bom, parece que a temporada de chuvas no México estava mostrando à que veio. Enquanto nossas vizinhas de mesa pegavam seus guarda-chuvas para proteger-se da chuva nós apenas ríamos, ensopados.

Algum tempo depois a chuva e o vento forte foram embora e podemos comer nossos nachos tranquilamente. Pedimos cervejas e mojitos e quando tivemos certeza de que a chuva não voltaria resolvemos caminhar pela praia. Caminhamos pela areia branca enquanto observávamos o mar azul que, mesmo com o tempo nublado, tinha cores vivas.

No dia seguinte a chuva não parou o dia todo e confesso que foi um pouco decepcionante, já que acabamos perdendo um dia de praia. Passamos o dia todo no hotel descansado, conversando com outros hóspedes e descansando mais um pouco.

No nosso terceiro dia no Amoreira, mal acreditei quando vi o sol brilhando e entrando pela janela. Pulei da cama e logo já estávamos prontos para aproveitar a praia. E os dias que se seguiram foram típicos do Caribe. Sol forte e nada de chuva.

Nossa rotina era passar um tempo deitados nas cadeiras de praia, caminhar pela praia, encontrar um restaurante gostoso para comer e descobrir as belezas da praia caribenha.

Foi impossível não se deixar levar pela tranquilidade de Tulum. Tudo que fazíamos era sem pressa e escolhemos não encher nosso roteiro de visitas à vários lugares porque queríamos relaxar. Não poderia ter sido melhor, afinal, do que adiantaria estarmos em um lugar tão relax se não pudéssemos relaxar?

SalvarSalvarSalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar

SalvarSalvar